Terminal de GNL Presidente Kennedy

Fonte: Global Energy Monitor

[English]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

O Terminal de GNL Presidente Kennedy, também conhecido como Terminal de GNL do Porto Central, é um terminal de GNL proposto no Espírito Santo, Brasil.

Localização

O terminal proposto estaria localizado na costa atlântica brasileira próximo a Presidente Kennedy no Espírito Santo, Brasil.[1][2]

Loading map...

Detalhes do projeto

  • Patrocinadora: Porto Central Complexo Industrial Portuário S.A.[3]
  • Proprietária: Porto de Roterdã, TPK Logística S.A.[1][4]
  • Localização: Porto Central, Presidente Kennedy, Espírito Santo, Brasil
  • Coordenadas: -21.224754 -40.946933 (aproximado)
  • Capacidade: 20 bilhões de metros cúbicos por dia[1]
  • Situação: Proposta
  • Tipo: Importação
  • Ano de início:
  • Financiamento:

Observação: mtpa = milhões de toneladas por ano; bcfd = bilhões de pés cúbicos por dia

Histórico

O terminal de GNL Presidente Kennedy seria parte do projeto Porto Central, uma proposta de porto privado e complexo industrial patrocinado conjuntamente pelo Porto de Roterdã e TPK Logística S.A. na costa atlântica do Brasil, a sudeste de Presidente Kennedy, Espírito Santo, Brasil. O terminal de GNL incluiria uma FSRU (unidade flutuante de armazenamento e regaseificação) com capacidade de regaseificação de 20 milhões de metros cúbicos por dia, atracada em um cais de águas profundas capaz de receber navios do tipo Q-MAX.[1]

A depender dos interesses dos investidores, o projeto Porto Central pode eventualmente incluir também tanques de armazenamento para GNL, junto com unidades de processamento de gás natural para lidar com a produção dos campos de gás próximos (Bacias de Campo e Espírito Santo), que poderiam ser entregues ao porto através da Route 6 gas pipeline proposta.[1]

Entre os clientes potenciais para o gás natural processado no porto estão os 928 MW de Usina Termelétrica Presidente Kennedy, que recebeu sua licença de instalação em fevereiro de 2020, e os 3,9 GW propostos de UTE Sudeste .[2] Outras propostas precisam do transporte do gás do porto por um ramal de 20 quilômetros até uma conexão com os 1.387 quilômetros de Gasene gas pipeline, ou mais distante, para clientes na capital do Espírito Santo, Vitória e no estado vizinho de Minas Gerais.[1]

Os desenvolvedores do porto receberam a licença obrigatória para a instalação do Ibama (autoridade ambiental brasileira) em 2018, mas em outubro de 2020 ainda estavam procurando financiamento para construção e acordos com empresas de petróleo e gás antes de tomar uma decisão final de investimento.[1][2][5]

Artigos e recursos

Referências

  1. 1.0 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 "Terminais de Regaseificação de GNL no Brasil: Panorama dos Principais Projetos (pp 26-28)" (PDF). EPE (Empresa de Pesquisa Energética). August 30, 2019.
  2. 2.0 2.1 2.2 "Terminais de GNL no Brasil (pp 21-22)" (PDF). EPE (Empresa de Pesquisa Energética). October 2020.
  3. "Carta de Encaminhamento da Documentação para Autorização para Construção e Exploração de Terminal de Uso Privado: Porto Central" (PDF). Agência Nacional de Transportes Aquaviários. June 18, 2015.
  4. "Quem Somos". Porto Central. Retrieved 2021-04-19.
  5. "Brazil prepares for a new phase of investments in LNG terminals". LNG Latin America & the Caribbean. Retrieved 2021-04-23.