Usina Terméletrica Pecém

From Global Energy Monitor

[English]

Este artigo faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.

A UTE Pecém é uma usina a carvão de 1.085 megawatts (MW) em São Gonçalo do Amarante, Ceará.

Localização

A foto abaixo mostra a planta, que fica perto de São Gonçalo do Amarante, Ceará, Brasil.

Loading map...

Histórico

A empresa brasileira de energia Eneva (anteriormente MPX Energia SA) e a holding EDP Energias no Brasil detêm 50% da estação Pecém I, originalmente licenciada em 2006. No leilão nacional de energia A-5 em outubro de 2007, Pecém I ganhou um contrato para produzir uma média anual de 615MW de energia por um período de 15 anos, e em janeiro de 2012 recebeu permissão das autoridades brasileiras para começar a testar a primeira unidade a carvão.[1] Em dezembro de 2012, a ANEEL autorizou a primeira unidade da UTE Pecém I a iniciar operações comerciais[2], e em maio de 2013, a segunda unidade de Pecém I também recebeu luz verde da ANEEL.[3] Uma adição mais recente, a usina de 365 MW Pecém II, detida 50% pela Eneva e 50% pela E.ON, concluiu sua fase de testes em junho de 2013 e recebeu a autorização da ANEEL para iniciar as operações comerciais em outubro de 2013.[4] A atual concessão de geração de eletricidade da Eneva para a UTE Pecém expira em dezembro de 2027.[5]

Em uma entrevista de outubro de 2020 ao Capital Reset, o CEO da Eneva, Pedro Zinner, reiterou o seu compromisso com a eliminação de novos investimentos em usinas termelétricas a carvão; no entanto, deixou em aberto a possibilidade de continuar a operar a usina de Pecém após 2027 se houver demanda por eletricidade que não pode ser fornecida de outras fontes.[6]

Financiamento de Pecém I

Em fevereiro de 2008, foi concluído o contrato de financiamento de Pecém I. US $ 279,38 milhões em empréstimos foram concedidos pelo ING Group, Citigroup, Millennium BCP, WestLB, Banco do Brasil e Haitong Bank. O patrimônio líquido foi de US $ 365,68 milhões proveniente do Grupo EDP e da ENEVA. O Citigroup atuou como consultor financeiro do patrocinador do negócio.[7] Em julho de 2009, foi fechado um segundo contrato de financiamento de Pecém I. US $ 1.039,19 milhões em empréstimos foram concedidos pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e pelo BNDES. US $ 544 de capital próprio foram fornecidos pelo Grupo EDP e ENEVA. O Citigroup aagin atuou como consultor financeiro do patrocinador do negócio.[8] Por fim, em 2016, o Grupo EDP anunciou que refinanciou parte dos empréstimos de Pecém I através da contratação de dois novos empréstimos no valor total de R $ 480 milhões e da injeção de capital pela EDP no valor de R $ 500 milhões.[9]

Expansão proposta

Em outubro de 2017, o vice-presidente da EDP, Luiz Otavio, anunciou que sua empresa estava considerando o desenvolvimento de uma nova unidade de R $1,5 bilhão para abastecer com carvão colombiano, no local existente em Porto do Pecém ou em outro local.[10]

No entanto, o CEO da Eneva, Pedro Zinner, em uma entrevista em maio de 2019 ao Brazil Journal, disse que a Eneva não tinha mais planos de investir no carvão e que esperava que o carvão desempenhasse um papel cada vez menor no portfólio da empresa.[11]

Financiamento de Pecém II

Em janeiro de 2009, foi fechado o contrato de financiamento de Pecém II. US $ 131,88 milhões em empréstimos foram concedidos pelo Bradesco, Citigroup, Santander, Itau-Unibanco e Banco Votorantim. O Citigroup atuou como consultor financeiro do patrocinador.[12]

Impacto ambiental

Em maio de 2019, foi anunciado que 43 famílias que moram perto do complexo industrial de Pecém receberiam indenização pela sua exposição ao pó de carvão da UTE Pecém. O impacto nessas famílias não foi abordado pela Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) original da usina.[13]

Detalhes do Projeto

  • Patrocinador:
    • Unidade 1: Eneva/EDP Energias no Brasil[2]
    • Unidade 2: Eneva/EDP Energias no Brasil[2]
    • Unidade 3: Eneva[14]
  • Empresa-mãe:
  • Localização: São Gonçalo do Amarante, Ceará, Brazil
  • Coordenadas: -3.5827, -38.875
  • Estado:
    • Unidade 1: Operativo (2012)[2]
    • Unidade 2: Operativo (2013)[2]
    • Unidade 3: Operativo (2013)[15]
  • Capacidade Bruta:
    • Unidade 1: 360MW[16]
    • Unidade 2: 360MW[16]
    • Unidade 3: 365MW[4]
  • Tipo: Subcrítico
  • Tipo de carvão:
  • Fonte de carvão: Colombia[2]
  • Fonte de financiamento:
    • Pecém I: US $ 1.405 milhões em dívidas de ING Group, Citigroup, Millennium BCP, WestLB, Banco do Brasil, Haitong Bank, Banco Interamericano de Desenvolvimento BNDES e duas fontes não identificadas; US $ 1000,35 milhões em capitais próprios do Grupo EDP e ENEVA[7][8][9]
    • Pecém II: US $ 131,88 milhões em dívidas de Bradesco, Citigroup, Santander, Itau-Unibanco e Banco Votorantim[12]

Referências

  1. "Brazil to begin testing of new 360 MW coal fired unit". Power Engineering International. 2012-02-01.
  2. 2.0 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 "The Power Plant | EDP Pecém". EDP. Retrieved 2021-01-20.
  3. "UTE Pecém II já opera comercialmente,", Diario do Nordeste, May 11, 2013.
  4. 4.0 4.1 "Pecém II". Eneva website. Retrieved 2021-01-20.
  5. "2019 Sustainability Report". Eneva. Retrieved 2020-12-30.
  6. "Eneva descarta novos investimentos em carvão, mas pode dar sobrevida a usinas existentes, diz CEO". Capital Reset. October 30, 2020.
  7. 7.0 7.1 "Preview of MPX Pecem I Coal-Fired Power Plant Bridge Loan (720MW) | Transaction | IJGlobal". ijglobal.com. Retrieved 2020-10-06.
  8. 8.0 8.1 "Preview of Porto do Pecem I TPP Long-Term Financing | Transaction | IJGlobal". ijglobal.com. Retrieved 2020-10-06.
  9. 9.0 9.1 MarketScreener. "EDP Energias do Brasil : Prepayment Porto do Pecém Geração de Energia S.A. Financing | MarketScreener". www.marketscreener.com. Retrieved 2020-10-06.
  10. "CE concorre a usina de R$ 1,5 bilhão,", O Povo, October 6, 2017.
  11. Viri, Natalia (May 20, 2019). "Cheia de gás, Eneva ganha respeito no mercado". Brazil Journal.
  12. 12.0 12.1 "Preview of Pecem II 360MW Expansion Bridge Loan | Transaction | IJGlobal". ijglobal.com. Retrieved 2020-10-06.
  13. "Famílias afetadas durante cinco anos por fuligem de carvão mineral serão indenizadas no Ceará". O Globo. May 16, 2019.
  14. "Pecém II: Eneva compra 100% das ações da Uniper". Negócios - Diário do Nordeste. March 13, 2018.
  15. "UTE Pecém II está ligada ao sistema - Negócios". Diário do Nordeste. June 4, 2013.
  16. 16.0 16.1 "EDP Brasil completed the acquisition of Eneva's stake in Pec... | Energy Finance & Investment". IPP Journal. 2015-05-22.