Usina Termelétrica Presidente Médici Candiota

Fonte: Global Energy Monitor
(Redirecionado de Usina Termelétrica Candiota)

[English]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

A Usina Termelétrica Presidente Medici, também conhecida como A Usina Termelétrica Candiota, é uma central termoelétrica a carvão de 350 megawatt (MW) no estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. 446 MW de capacidade adicional foram inativados em 2017.[1]

Localização

A foto de satélite abaixo mostra a usina, que fica perto de Candiota, no estado do Rio Grande do Sul, no Brasil.

Loading map...

Histórico

A primeira fase da construção terminou em 1974 com a abertura das Unidades 1 e 2; uma segunda fase, abrangendo as Unidades 3 e 4, foi concluída em 1986, e uma terceira expansão mais significativa (também conhecida como Fase C ou Candiota III), executada com a cooperação do governo chinês, resultou na abertura da Unidade 5 em 2010, praticamente dobrando a produção da usina.[2]

Em 2017, a agência brasileira de energia, ANEEL, ordenou o fechamento indefinido das Unidades 3 e 4 devido a pendências na conformidade com os regulamentos ambientais brasileiros.[3] Em fevereiro de 2018, foi relatado que a ANEEL também tinha fechado as Unidades 1 e 2 no final de 2017 e que as Unidades 1 a 4 estão agora inativas devido a problemas de confiabilidade e à relutância do governo em prolongar o licenciamento ambiental.[1]

A Unidade 5 foi fechada em dezembro de 2018 para um trabalho de manutenção extenso, a fim de lidar com o desgaste de equipamentos causado pelo carvão local com alto teor de cinzas que é usado para alimentar a usina.[4] A unidade retomou as operações normais em novembro de 2020.[5]

Os contratos atuais de energia para a Unidade 5 continuam em vigor até dezembro de 2024. Desde o começo de 2020, a CGTEE, patrocinadora da usina, estava considerando inscrever a Unidade 5 de Candiota no leilão brasileiro de energia A-5, previsto para abril de 2020, na esperança de prolongar a vida útil da usina[6][7]; no entanto, o leilão foi postergado indefinidamente devido à pandemia de coronavírus[8] e, desde então, foi remarcado para setembro de 2021.[9]


Detalhes do projeto

  • Patrocinadora: Cia Geração Térmica Energia Elétrica[4]
  • Empresa(s) controladora(s): Eletrobras[4]
  • Localização: Candiota, estado do Rio Grande do Sul, no Brasil
  • Coordenadas: -31,5514, -53,6828 (exata)
  • Situação:
    • Unidade 1: Inativa (1974-2017)[1]
    • Unidade 2: Inativa (1974-2017)[1]
    • Unidade 3: Inativa (1986-2017)[1]
    • Unidade 4: Inativa (1986-2017)[1]
    • Unidade 5: Em operação (2010)[5]
  • Capacidade bruta:
    • Unidade 1: 63MW
    • Unidade 2: 63MW
    • Unidade 3: 160MW
    • Unidade 4: 160MW
    • Unidade 5: 350MW[4][5]
  • Tipo: Supercritical
  • Tipo de carvão: Betuminoso
  • Fonte de carvão: Mina de Candiota
  • Fonte de financiamento: Banco de Desenvolvimento da China, BNP Paribas

Referências

  1. 1.0 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 Termelétrica a carvão da Eletrobras encerra operação no Rio Grande do Sul, Globo, 26 de fevereiro de 2018
  2. "Candiota". CGTEE. Retrieved 2021-01-20.
  3. "Despacho da Aneel formaliza suspensão da Fase B,", Jornal Minuano, 19 de junho de 2017.
  4. 4.0 4.1 4.2 4.3 "Candiota 3 voltará a gerar eletricidade em março". Jornal do Comércio. January 30, 2019.
  5. 5.0 5.1 5.2 "Uma década da Termelétrica Candiota III". CGT Eletrosul. January 1, 2021.
  6. "Candiota 3 pode participar de leilão de energia". Jornal do Comércio. March 4, 2020.
  7. "Fase C da Usina de Candiota quer participar do próximo leilão de energia". Jornal Tribuna do Pampa. 2020-03-14.
  8. "MME posterga realização dos leilões de energia elétrica e de transmissão". EPE (Empresa de Pesquisa Energética). March 30, 2020.
  9. "Leilões de energia representam oportunidades para o setor". UNICA. December 9, 2020.