FSRU da Baía de São Marcos

From Global Energy Monitor

[English] • [español]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

A FSRU da Baía de São Marcos é um terminal de GNL proposto no Maranhão, Brasil.

Localização

O terminal da Baía de São Marcos estaria localizado no canal do Boqueirão, Baía de São Marcos no Maranhão, Brasil.[1][2]

Loading map...

Detalhes do projeto

  • Proprietária: New Fortress Energy[3][4][5]
  • Localização: Canal do Boqueirão, Baía de São Marcos no Maranhão, Brasil[1][2]
  • Coordenadas: -2,550981, -44,378683 (aproximado)
  • Capacidade: 21 milhões de metros cúbicos por dia (Mm3/dia)[1]
  • Situação: Proposta
  • Tipo: Importação
  • Ano de início:
  • Financiamento:

Observação: mtpa = milhões de toneladas por ano; bcfd = bilhões de pés cúbicos por dia

Histórico

O terminal proposto seria um FSRU (unidade flutuante de armazenamento e regaseificação) localizado na Baía de São Marcos, Maranhão, Brasil.[1][4] Ele faria o fornecimento de gás natural para duas novas usinas propostas, Usina Termelétrica São Marcos I e Usina Termelétrica São Marcos II, cada uma com uma capacidade de 2,1 GW.[4][1] O terminal teria uma capacidade máxima de regaseificação de 21 milhões de metros cúbicos por dia.[1][4]

Em abril de 2021, a New Fortress Energy adquiriu o projeto do terminal e da usina da ex-proprietária, Hygo Energy Transition (conhecida antes como Golar Power).[4][6] A Golar Power requisitou o pedido de licença ambiental para o projeto junto ao IBAMA (autoridade regulatória ambiental do Brasil) em 2018, planejando competir no leilão de energia A-6 do Brasil em 2021.[1]

Em seguida, a Golar Power começou a procurar um local alternativo para o terminal próximo ao porto de Itaqui, independente das centrais elétricas de São Marcos. Nesse novo arranjo, proposto em uma carta de intenções de 2020 entre a Golar Energy e a Companhia Maranhense de Gás, o terminal traria carregamentos de GNL de Sergipe da New Fortress Energy e os transportaria por caminhão para o interior do Maranhão.[2]

Em julho de 2021, o Terminal da Baía de São Marcos e as usinas termelétricas associadas (São Marcos I e São Marcos II) continuavam a ser listados como projetos vigentes pelo governo brasileiro.[7]

Artigos e recursos

Referências

  1. 1.0 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 "Terminais de Regaseificação de GNL no Brasil: Panorama dos Principais Projetos (pp 32-33)" (PDF). EPE (Empresa de Pesquisa Energética). August 30, 2019.
  2. 2.0 2.1 2.2 "Terminais de GNL no Brasil (pp 16-17)" (PDF). EPE (Empresa de Pesquisa Energética). October 2020.
  3. "New Fortress Energy acquires Hygo Energy and GMLP". Hydrocarbons Technology. April 16, 2021.
  4. 4.0 4.1 4.2 4.3 4.4 "Golar compra participação da Eneva na UTE São Marcos". Brainmarket (in português). March 2021.
  5. "Porto de Sergipe I Power Project, Barra dos Coqueiros". Power Technology. Retrieved 2021-04-23.
  6. "Golar Power becomes Hygo Energy Transition - Offshore Energy". Offshore Energy. August 31, 2020.
  7. "PITER (Plano Indicativo de Terminais de GNL)" (PDF). EPE (Empresa de Pesquisa Energética). July 2021.