Usina Termelétrica Barcarena Vale

From Global Energy Monitor

[English]

Barcarena Vale é uma central termoelétrica a carvão proposta de 600 megawatt (MW) em Barcarena, estado do Pará, no Brasil.

Localização

O mapa abaixo mostra Barcarena, a localização aproximada onde a usina será construída.

Loading map...

Histórico

A aprovação inicial da licença foi concedida à corporação Vale do Rio Doce em 2008, com metade da produção elétrica projetada da usina a ser usada nas próprias operações de mineração e processamento de alumina da Vale no estado do Pará, e a outra metade para alimentar a rede elétrica do norte do Brasil.[1] O projeto foi suspenso em maio de 2010, após a transferência das operações de alumina em Barcarena da Vale para a multinacional norueguesa Norsk Hydro.[2]

Em maio de 2011, os planos para a construção da usina foram retomados sob a administração conjunta da empresa de logística chinesa Sinotrans e da Barcarena Geração de Energia Ltda., uma subsidiária brasileira do SDEPCI (Instituto de Consultoria de Engenharia de Energia Elétrica Shandong Electric), com sede na China. Sob esse novo arranjo, Barcarena se tornaria o maior projeto de construção relacionado a energia no Brasil com o contrato concedido a uma empresa chinesa.[3][4].

A ANEEL, a agência nacional de regulamentação elétrica do Brasil, autorizou o projeto Barcarena a participar do leilão de energia A-5 do país em abril de 2015. Em um comunicado à imprensa antes do leilão, a agência nacional de planejamento de energia EPE descreveu o projeto como uma usina a carvão de 600 MW no estado do Pará.[5] Porém, nem o projeto Barcarena, nem qualquer outra central termoelétrica a carvão venceu um contrato governamental para a produção de eletricidade no leilão de abril de 2015, e o projeto Barcarena não consta da lista oficial da ANEEL com os participantes do leilão de energia de 2016.[6]

Enquanto isso, o gás natural emergiu como um concorrente do carvão em Barcarena. No final de 2015, o senador Flexa Ribeiro, do Pará, citando as vantagens ambientais do gás natural, fez lobby com êxito junto ao Ministro da Energia e Minas do Brasil, Eduardo Braga, a modificar as diretrizes de leilões de energia no país a partir de 2016, para permitir a construção de novas usinas no Pará abastecidas com gás natural importado, como a usina de 1310 MW proposta pela Genpower Participações em Barcarena.[7]

Em 2016, um relatório sobre o carvão brasileiro publicado pela Fundação de Ciência e Tecnologia indicou que a Vale ainda tem planos para uma central termoelétrica a carvão de 600 MW em Barcarena, a ser alimentada com carvão importado da Colômbia ou de Moçambique.[8]

O projeto Barcarena de 600 MW foi incluído na lista oficial do governo dos participantes no leilão de energia A-6 do Brasil, realizado em dezembro de 2017[9], mas foi preterido em favor de outros projetos a gás natural, eólico ou outras energias renováveis.[10]

A usina não foi incluída no leilão de energia A-6 em outubro de 2019[11], e a partir de janeiro de 2021, não se menciona no site corporativo da Vale, nem em sua página sobre carvão[12], nem em sua página sobre ativos de energia no Brasil.[13] Sem progresso em mais de dois anos, a usina de Barcarena Vale parece ter sido arquivada.

Detalhes do projeto

  • Patrocinadora: Vale[8]
  • Empresa(s) controladora(s): Vale
  • Localização: Barcarena, estado do Pará, no Brasil
  • Coordenadas: -1,505833, -48,625833 (aproximado)
  • Situação: Arquivado
  • Capacidade bruta: 600 MW[8]
    • Unidade 1: 300 MW
    • Unidade 2: 300 MW
  • Tipo: Subcritical
  • Expetativa de início de operação:
  • Tipo de carvão: Antracito
  • Fonte de carvão: Colômbia ou Moçambique[8]
  • Fonte de financiamento:

Artigos e recursos

Referências

  1. "UTE de Barcarena: Usina a carvão da recebe a licença prévia do Coema (Conselho Estadual de Meio Ambiente)". EcoDebate. November 13, 2008.
  2. "Vale suspende termelétrica em Barcarena". Diário do Pará. May 4, 2010.
  3. "SINOTRANS Joins Hands with Shandong Electric Power Engineering Consulting Institute to Build the Biggest Coal-fired Power Plant in Brazil,", Every China, maio de 2011.
  4. "Barcarena Geracao de Energia Ltda,", website BN Americas, acessado em outubro de 2015.
  5. "Leilão A-5 2015 cadastra 19.826 MW em novos projetos de energia, diz EPE". Reuters. 2015-02-05.
  6. "Resultados dos Leilões de Geração,", website da ANEEL, acessado em dezembro de 2016.
  7. "Grupo apresenta estudo para implantação de usina termelétrica no Pará". Agência Pará de Notícias. December 9, 2015.
  8. 8.0 8.1 8.2 8.3 "Boletim Técnico 36: Quantificação das Cinzas de Carvão Fóssil Produzidas no Brasil (p 9)", Fundação de Ciência e Tecnologia, julho de 2016.
  9. "Edital de leilão A-6 entra em audiência pública,", Agência Nacional de Energia Elétrica, 3 de outubro de 2017.
  10. "Leilão A-6 viabiliza 3,8 GW e R$ 13,9 bilhões em novos investimentos," CanalEnergia, 20 de dezembro de 2017
  11. Sem usinas a carvão, leilão de energia movimenta R$ 44 bilhões, Jornal Minuano, 18 de outubro de 2019
  12. "Carvão". Vale website. Retrieved 2021-01-12.
  13. "Energia: Ativos e participações: Brasil". Vale website. Retrieved 2021-01-12.

Artigos da SourceWatch relacionados

Recursos externos