Perfil energético – Granada

Fonte: Global Energy Monitor

[English][español]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

Matriz de combustível (combustíveis fósseis versus renováveis)

Quase toda a energia de Granada é obtida através de hidrocarbonetos importados. As energias não renováveis representaram 97,94% da capacidade instalada e 98,57% da geração de eletricidade em 2019, com a energia solar fechando a conta.[1] O governo de Granada expressou preocupação com a mudança climática, mas continua a depender do diesel e de produtos petrolíferos refinados, apesar de ter muita luz solar e vulcões ativos que poderiam ser utilizados para energia renovável.[2] Os planos do governo é que, até 2030, pelo menos 30% da eletricidade seja gerada a partir de fontes renováveis.[2]

Metas de emissões de gases de efeito estufa

A meta de Contribuição Nacionalmente Determinada de Granada exige uma redução de 30% nas emissões da geração de energia elétrica até 2025. Um terço da redução será realizado com a mudança para fontes renováveis, enquanto o restante virá de medidas de eficiência energética.[3][4] A atualização de Granada em 2020 para o NDC promete uma redução de 40% nas emissões de GEE até 2030.[5]

Agências governamentais de energia e outros players principais

Ministério nacional de energia

A MOID (Ministry of Infrastructure Development, Public Utilities, Energy, Transport, and Implementation) é a empresa responsável pela geração de energia em Granada.

Agências licenciadoras e regulatórias

O MOID lida com a maioria das licenças relacionadas a projetos de energia. Os geradores autônomos de eletricidade devem solicitar uma licença através do PURC (Public Utilities Regulatory Commission), a autoridade reguladora de energia de Granada.

Empresas concessionárias de energia elétrica

A GRENLEC (Grenada Electricity Services) é a empresa elétrica anteriormente privatizada, agora nacionalizada, de Granada.

Companhia petrolífera nacional

Granada não possui uma empresa nacional de petróleo.[6]

Empresas privadas de energia

Em outubro de 2018, a Global Petroleum Group e uma empresa chinesa não identificada eram encabeçavam os projetos de exploração de petróleo em Granada.[6]

Dados de emprego do setor de energia

No início de 2021, aproximadamente 235 funcionários trabalhavam para Grenlec na geração, transmissão e distribuição de eletricidade.[7]

Uso de eletricidade

Capacidade instalada

Granada tinha uma capacidade instalada de geração de eletricidade de aproximadamente 50 MW (dados de 2021),[2] mais de 90% dela proveniente de combustíveis fósseis.[8]

Produção

Em 2016, Granada produziu 202,1 bilhão de kWh de energia elétrica.[8]

Demanda

Em 2018, o pico de demanda foi de 33,2 MW.[4]

Consumo

Em 2016, Granada consumiu 185,1 milhões de kWh de energia elétrica.[8] Em 2018, 95,3% da população tinha acesso à eletricidade.[8]

Carvão em Granada

Granada não produz, consome, importa, exporta ou possui reservas de carvão.

Petróleo e gás natural em Granada

Produção interna nacional

Granada não tem reservas comprovadas de petróleo bruto ou gás natural e não produz produtos petrolíferos refinados. Durante 2016, Granada consumiu 2.000 barris de produtos petrolíferos refinados por dia, todos importados através do porto de St. George.[8] Granada depende de diesel importado[2], principalmente dos EUA, Venezuela e Trinidade e Tobago.[9]

Empresas começaram a pesquisar petróleo e gás em alto mar nas águas de Granada em 2017, após a aprovação de uma Lei de Incentivo à Exploração de Hidrocarbonetos.[10][11] A área de foco é onde as fronteiras marítimas de Granada e Trinidade e Tobago se encontram.[12] Foram encontrados indícios de gás natural durante uma exploração de 2018 pelo Global Petroleum Group.[11]

Energia renovável em Granada

Os esforços para a expansão da energia renovável em Granada foram detidos por muito tempo pela empresa privada de eletricidade Grenlec, cujas políticas restritivas e punitivas desencorajaram a adoção de painéis solares, deixando o país bem longe de sua meta declarada de alcançar 20% de eletricidade renovável até 2020.[2] Ao final de 2019, a energia solar representava apenas 1 MW, ou 2,06% da capacidade instalada.[1] A capacidade de energias renováveis mais do que triplicou, chegando a 3,6 MW em 2020[13], com 2,45 MW provenientes da energia solar e uma pequena quantidade de energia eólica.[4] Após assumir recentemente a propriedade da Grenlec, o governo planeja aumentar drasticamente o papel das energias renováveis ao longo da próxima década, com uma meta de 30% a 100% de eletricidade renovável até 2030.[2] De acordo com estimativas do Laboratório Nacional de Energia Renovável dos EUA, Granada poderia gerar até 20 MW de energia eólica, 25 a 50 MW de energia solar e mais de 50 MW de energia geotérmica.[14]

O Sustainable Development Plan 2020-2035 de Granada detalha o plano de ação do governo, em conjunto com Strategic Program for Climate Resilience.

Impactos ambientais e sociais da energia em Granada

O National Disaster Management Agency de Granada é responsável por ajudar a mitigar os danos que já afetam o país causados pelas mudanças climáticas e pelas atividades de exploração de petróleo.

  1. 1.0 1.1 "Panorama Energético de América Latina y el Caribe 2020". OLADE. November 27, 2020.
  2. 2.0 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 "Why Grenada had to nationalise its electricity for $60m to pursue renewables". Climate Home News. 2021-02-05. Retrieved 2021-05-24.
  3. "Grenada: Intended Nationally Determined Contribution" (PDF). Government of Grenada. April 22, 2016.
  4. 4.0 4.1 4.2 "Grenada Energy Snapshot" (PDF). Energy Transitions Initiative. September 2020.
  5. "Second Nationally Determined Contribution" (PDF). Government of Grenada. November 30, 2020.
  6. 6.0 6.1 "Foreign companies team up to explore for oil in Grenada". OilNow. 2018-10-30. Retrieved 2021-05-24.
  7. "Grenada Electricity Services Ltd. (Grenlec)". Linkedin. May 2021.
  8. 8.0 8.1 8.2 8.3 8.4 "Grenada - The World Factbook". www.cia.gov. Retrieved 2021-05-24.
  9. "Grenada Trade". World Integrated Trade Solution. 2018.
  10. "Grenada gunning for commercial oil & gas". OilNow. 2017-10-28. Retrieved 2021-05-24.
  11. 11.0 11.1 "Grenada: First Discovery - INEXS". INEXS. 2018-01-15. Retrieved 2021-05-24.
  12. "StackPath". www.offshore-mag.com. Retrieved 2021-05-24.
  13. "Grenlec Year In Review 2020". GRENLEC. Retrieved 2021-05-24.
  14. "Energy Snapshot: Grenada" (PDF). National Renewable Energy Laboratory. March 2015.