Perfil energético – Uruguai

Fonte: Global Energy Monitor

[English][español]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

Matriz de combustível (combustíveis fósseis versus renováveis)

Em 2020, as energias renováveis representavam 75,8% da capacidade elétrica do Uruguai, com não renováveis representando os 24,2% restantes (comparado com 29% em 2016).[1][2] Em termos de geração, 94% da eletricidade do Uruguai foi gerada a partir de fontes renováveis em 2020; os combustíveis fósseis, que geravam quase 40% da eletricidade do Uruguai há uma década, agora representam uma fração muito menor.[1][3]

Metas de emissões de gases de efeito estufa

O governo uruguaio afirma se focar em reduzir as emissões do setor energético para não prejudicar os sistemas agrícolas, que representam 76% das emissões e 70% das exportações nacionais.[4] Em 2017, a redução das emissões de gases de efeito estufa no Uruguai atingiu 88% em comparação à média do período de 2009 a 2013.[5] O Uruguai pretende ser neutro em carbono até 2030.[6]

No entanto, o governo ainda estava finalizando sua estratégia nacional de descarbonização na COP 26 de novembro de 2021.[7]

Agências governamentais de energia e outros players principais

Ministério nacional de energia

A MIEM (Ministerio de Industria, Energía y Minería) é responsável pela formulação e promoção das políticas industriais, energéticas e de mineração do Uruguai.

Agências licenciadoras

A DINAMA (Dirección Nacional de Medio Ambiente) emite licenças para qualquer projeto que tenha o potencial de ser prejudicial ao meio ambiente.

Agências regulatórias

A URSEA (Unidad Reguladora de Servicios de Energía y Agua) é responsável pela regulamentação do setor elétrico e de água.

Empresas concessionárias de energia elétrica

A UTE (Administración Nacional de Usinas y Trasmisiones Eléctricas) é responsável pela rede elétrica do Uruguai, incluindo geração, transmissão, distribuição, comercialização e assistência técnica.

Companhia petrolífera nacional

A ANCAP (Administración Nacional de Combustibles, Alcohol y Portland) é a empresa estatal responsável pela importação, refino e distribuição de derivados de petróleo.

Dados de emprego do setor de energia

O setor de energia renovável empregava mais de 11.000 trabalhadores no Uruguai (em setembro de 2018).[8]

Uso de eletricidade

Capacidade instalada

Em 2020, o Uruguai tinha 4,9 GW de capacidade instalada de geração elétrica, com a energia hídrica (31,2%) e eólica (30,7%) representando as maiores participações.[1]

Produção

Em 2020, o Uruguai produziu 13,5 TWh de eletricidade, sendo 40% de energia eólica, 30% de hidrelétrica, 20% de biomassa, 6% de combustíveis fósseis e 4% de energia solar.[1]

Demanda

Em 2020, 100% da população tinha acesso à eletricidade.[2] A UTE está gastando US$ 960 milhões no período de 2020 a 2025 para instalar uma nova infraestrutura de transmissão elétrica.[9]

Consumo

Em 2016, o Uruguai consumiu 10,77 bilhões de kWh de eletricidade.[2]

Carvão no Uruguai

O Uruguai não produz, consome ou importa carvão.[10]

Petróleo e gás natural no Uruguai

Produção interna nacional

O Uruguai não produz petróleo bruto e o país não tem reservas comprovadas.[2] O Uruguai produziu 42.220 barris/dia de produtos petrolíferos refinados em 2015.[2] O Uruguai não produz gás natural e não tem reservas comprovadas.

Fornecimento total de energia por fonte, 1990 a 2018, Fonte: IEA

Consumo

Em 2016, o Uruguai consumia 53.000 barris/dia de produtos petrolíferos refinados.[2] O Uruguai consumiu 70,79 milhões de metros cúbicos de gás natural em 2017.[2]

Importações e países de origem

O Uruguai importou, em 2015, 40.200 barris/dia de petróleo bruto.[2] O Uruguai importa todo o gás natural que utiliza.[2] O Uruguai importa gás natural principalmente da Argentina, por meio do Gasoducto Cruz del Sur.

Novas fontes e projetos propostos

Em maio de 2021, não havia novos projetos propostos para petróleo e gás no Uruguai.

Transporte

O gás é transportado da Argentina para o Uruguai via Gasoducto Cruz del Sur.

Energia renovável no Uruguai

A taxa de geração de eletricidade do Uruguai a partir de fontes renováveis (98%) está entre as mais altas do mundo.[11] O Uruguai aumentou a energia renovável agregada em 93% após a assinatura do Protocolo de Kioto (em 1997).[12] Em 2006, o Uruguai tornou-se um dos primeiros países da América Latina a realizar leilões nacionais de energia com foco no comissionamento de projetos de energia renovável .[11] Após um período de estagnação por volta de 2007, o setor de energia renovável voltou a crescer de forma prevalente por volta de 2010, com ênfase na energia eólica e na energia hidráulica.[6] O país deixou de depender das importações de energia da vizinha Argentina devido à adoção de energia renovável. Em 2020, o Uruguai ocupava o quarto lugar global no uso de energia eólica e solar.[5] A diversificação do setor de energia renovável tem sido muito benéfica para o Uruguai, gerando redução dos custos da energia elétrica e das emissões de gases de efeito estufa.[5]

A energia hidrelétrica respondia por aproximadamente 60% da geração elétrica em 2020 e o governo uruguaio tem planos para modernizar suas usinas hidrelétricas.[13] As secas devido às mudanças climáticas são a maior ameaça à matriz energética uruguaia. Em novembro de 2021, o Uruguai estava produzindo um excedente de energia eólica e o crescimento do setor deve ser parte do desenvolvimento da indústria do hidrogênio verde.[13] Projetos de microgeração solar estão crescendo em popularidade no Uruguai devido à Lei de Promoção de Investimentos que incentiva o uso de tecnologias solares. O Uruguai mantém um site governamental atualizado sobre desenvolvimentos solares.[13] A biomassa de madeira, gado, e óleos comestíveis é outra forma importante de geração de energia no Uruguai, respondendo por 15% em 2019.[13]

© 2020 The World Bank, Source: Global Solar Atlas 2.0, Solar resource data: Solargis.

Projeto piloto de hidrogênio verde está em andamento no Uruguai.[14][15]

Uruguay: The clean energy transition

Ferro e aço no Uruguai

O Uruguai importa ferro e aço, principalmente do Brasil.[16] Seguindo as estimativas de 2,5 bilhões de toneladas de reservas de ferro no Uruguai, feitas pela mineradora britânica Zamin Ferrous, o país passou por batalhas judiciais e protestos ambientais contra os efeitos negativos da mineração a céu aberto.[17] O sistema judiciário uruguaio continuava a ouvir casos de investidores de mineração de minério de ferro em 2020, que buscavam explorar as reservas uruguaias.[18]

Impactos ambientais e sociais da energia no Uruguai

A diversificação do setor de energia renovável do Uruguai permitiu ao país, pela primeira vez, usar pela a energia eólica e solar de forma a preservar a água das barragens para uma melhor mitigação das secas.[5] Os protestos contra a mineração de minério de ferro provavelmente serão uma questão ambiental e social importante para o Uruguai ao longo da década de 2020.[19]

Fonte: UNFCC

O Uruguai tem um Plano Nacional de Reassentamento para famílias em áreas propensas a inundações e pretende-se que seja um plano escalonável à medida que as condições mudam ao longo dos anos com os efeitos da mudança climática, que é reavaliado a cada cinco anos.[20]

Referências

  1. 1.0 1.1 1.2 1.3 "Panorama Energético de América Latina y el Caribe 2021". OLADE. November 2021.
  2. 2.0 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 2.6 2.7 2.8 "Uruguay - The World Factbook". www.cia.gov. Retrieved 2021-05-20.
  3. Energy Web (2020-07-22). "Uruguay's grid operator, UTE, partners with Energy Web on blockchain-based innovation". Medium. Retrieved 2021-05-20.
  4. "Intended Nationally Determined Contribution: Uruguay" (PDF). UNFCC. 2015.
  5. 5.0 5.1 5.2 5.3 "Uruguay, Latin America's Renewable Champion – Energy Transition". Energy Transition. 2020-01-27. Retrieved 2021-05-21.
  6. 6.0 6.1 "Why Uruguay's Unprecedented Shift to Clean Energy Is a Model for the World". www.worldpoliticsreview.com. Retrieved 2021-05-21.
  7. "COP26: Latin America unveils new climate commitments". Dialogo Chino. 2021-11-04. Retrieved 2021-12-08.
  8. "What's next for the energy transition in Uruguay? – Energy Transition". Energy Transition. 2018-11-16. Retrieved 2021-05-20.
  9. "BNamericas - Uruguay's UTE to invest almost US$1bn by 2025". BNamericas.com. Retrieved 2021-05-20.
  10. "Uruguay Coal Reserves and Consumption Statistics - Worldometer". www.worldometers.info. Retrieved 2021-05-20.
  11. 11.0 11.1 "¿Pueden las renovables llevar a una recuperación verde de América Latina?". Dialogo Chino. October 2, 2020.
  12. "Why Uruguay's Unprecedented Shift to Clean Energy Is a Model for the World". www.worldpoliticsreview.com. Retrieved 2021-05-21.
  13. 13.0 13.1 13.2 13.3 1. "Uruguay - Renewable Energy Equipment". www.trade.gov. Retrieved 2021-12-08.
  14. Sánchez Molina, Pilar (March 31, 2022). "Uruguay anuncia subasta para desarrollar proyectos de hidrógeno verde". PV Magazine. Retrieved May 2, 2022.
  15. Bellini, Emiliano (June 28, 2021). "Uruguay quiere convertirse en productor de hidrógeno verde". PV Magazine. Retrieved May 2, 2022.
  16. "Uruguay Iron or Steel Imports". World Integrated Trade Solution. 2019.
  17. "Environmentalists in Uruguay Fight New Open-Pit Mining Law". Earth Island Journal. Retrieved 2021-05-21.
  18. "Uruguay defeats multibillion-dollar mining claim". globalarbitrationreview.com. Retrieved 2021-05-21.
  19. "Uruguay Secures Win Over $4B Mining Project Claim - Law360". www.law360.com. Retrieved 2021-05-21.
  20. "Uruguay: National Resettlement Plan". unfccc.int. Retrieved 2021-12-09.