Perfil energético – Panamá

Fonte: Global Energy Monitor

[English][español]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

Matriz de combustível (combustíveis fósseis versus renováveis)

Fornecimento total de energia por fonte, Panamá, 1990 a 2018, fonte: IEA

A dependência atual do Panamá no fornecimento total de energia para o país é de mais de 70%.[1][2][3] No setor elétrico, a energia hídrica também desempenha um papel crucial, sendo responsável por cerca de 44% da capacidade instalada e da geração total em 2019. Outras fontes renováveis, como a eólica e a solar, fornecem uma porcentagem pequena (mas crescente) das necessidades elétricas do país.[1] O PEN (Plan Energético Nacional) 2015-2050 tem como alvo aumentar drasticamente o uso de energia renovável no Panamá até alcançar 70% da matriz energética do país.[4][5]

Metas de emissões de gases de efeito estufa

Consumo total de energia final por setor (1990-2014) no Panamá, fonte: SNE

O Panamá pretende ser neutro em carbono até 2050, parcialmente enfatizando a restauração florestal para absorver as emissões de CO2.[6] O Panamá Sustentável: O programa Reduce Your Footprint (Reduce tu Huella, Reduza a Sua Pegada) abrange todos os ministérios do governo, o Canal do Panamá, logística, construção, silvicultura, agricultura, turismo, academia e setor financeiro. Ele visa reduzir as emissões de GEE de todos os participantes, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente.[7][8] Em 2021, o Canal do Panamá começou oficialmente a descarbonizar suas operações, a fim de ser neutro em carbono até 2030.[9]

Agências governamentais de energia e outros players principais

Ministério nacional de energia

O SNE (Secretaría Nacional de Energía) trabalha sob o gabinete do Presidente do Panamá para avançar com o planejamento e a política energética.[10]

Agências licenciadoras

O Ministério do Meio Ambiente (Ministerio de Ambiente) é o responsável pelo licenciamento e pelas Avaliações de Impacto Ambiental.[11]

Agências regulatórias

A SNE é responsável pelo marco regulatório da política energética.[11] A ASEP (Autoridad Nacional de los Servicios Públicos) é responsável pela regulamentação do setor elétrico no Panamá.

Empresas concessionárias de energia elétrica

A ASEP supervisiona todos os aspectos do setor elétrico panamenho.[12]

Companhia petrolífera nacional

O Panamá não tem uma empresa nacional de petróleo.

Principais empresas de energia

A Naturgy é a principal distribuidora de energia no Panamá.[13] A Terpel e a EPAPetrol são as principais empresas de petróleo e gás no Panamá.

Dados de emprego do setor de energia

Em 2020, menos de 20% dos panamenhos trabalharam no setor industrial (que inclui empregos relacionados à energia).

Uso de eletricidade

Capacidade instalada

A capacidade instalada de energia no Panamá aumentou continuamente na última década.[11]

Produção

A EGESA (Empresa de Generación Eléctrica S.A.) é a empresa estatal do setor elétrico que é a responsável pelo desenvolvimento de projetos no mercado de geração de energia.[11]

Demanda

O Panamá é o maior consumidor de energia da América Central, importando mais de 80% de sua energia.[14] Para atender à demanda dos consumidores, o Panamá faz parte do SIEPAC (Sistema de Interconexão Elétrica dos Países de América Central), a rede de transmissão elétrica que conecta os países da América Central.[15]Em 2014, os setores comercial e público consumiram 58% da eletricidade total.[11] Três distribuidoras são responsáveis pela distribuição de energia no Panamá: A ENSA, a Edemet e a Edechi.[16]

Consumo

A eletricidade é distribuída por meio do sistema nacionalmente interconectado do Panamá (SIN).[11] Devido ao uso da energia hidrelétrica pelo Panamá, os preços da energia elétrica são afetados pelos padrões climáticos.[11]

Carvão no Panamá

O Panamá não produz carvão e, não tendo novas fontes ou projetos. Em 2016, o consumo anual do país foi de 330.693 toneladas curtas de carvão importado, o que colocou o Panamá na 86º posição mundial em consumo de carvão.[17]

Consumo de carvão do Panamá entre 1988-2016, fonte: Worldometers

Em 2014, cerca de 15 milhões de toneladas de carvão térmico passaram pelo Canal do Panamá.[18] O canal é uma passagem importante para os embarques de carvão colombiano para a Ásia e para a costa do Pacífico da América do Sul.[19]

Petróleo e gás natural no Panamá

Produção interna nacional

O Panamá não produz petróleo bruto ou gás natural.[15]

Consumo

O Panamá consome 1,61 galões de petróleo per capita/dia (em 2016), ou 14 barris per capita/ano.[20]

Importações e países de origem

Os Estados Unidos são os principais fornecedores de óleo combustível para o Panamá, junto com Equador, Peru e México.[21]

Novas fontes e projetos propostos

Entre os novos projetos potenciais atualmente em consideração pelos investidores no Panamá estão as unidades flutuantes de armazenamento de GNL.[22]

Transporte

O Trans-Panama pipeline transporta o petróleo entre as costas do Atlântico e do Pacífico.[15]

Energia renovável no Panamá

O setor de energia renovável do Panamá atualmente depende fortemente da energia hidrelétrica, e o Plano Nacional de Energia 2015-2050 visa diversificar a matriz energética do Panamá para evitar a dependência.[5]

Impactos ambientais e sociais da energia no Panamá

Eventos climáticos extremos (especialmente secas e inundações, que afetam as usinas hidrelétricas) são a principal preocupação para a infraestrutura, produção e distribuição de energia no Panamá.[11] A produção de energia verde é uma prioridade para o país, assim como a troca para veículos elétricos, gerando mais energia eólica e solar e monitorando o uso de água do Canal do Panamá durante os períodos de pouca chuva.[23]

  1. 1.0 1.1 "Panorama Energético de América Latina y el Caribe 2020". OLADE. November 27, 2020.
  2. "IEA Policies and Measures Database © OECD/IEA". IEA. Retrieved 2021-06-04.
  3. "Panama - Countries & Regions - IEA". IEA. Retrieved 2021-04-27.
  4. "Plan Energético Nacional". Secretaría Nacional de Energía – Gobierno de Panamá. Retrieved 2021-06-09.
  5. 5.0 5.1 "Demand analysis of emerging PV markets: Panama of Central and Southern America". Info Link. March 17, 2020.
  6. Ministerio de Ambiente, República de Panamá (December 2020). "Contribución Determinada a Nivel Nacional de Panama (CDN1) Primera Actualización" (PDF). UNFCCC.
  7. "Panama Launches New Programme Towards Implementing its NDC". United Nations. Retrieved 2021-04-27.
  8. "Panama's Green Recovery from COVID-19 – Platform for REDESIGN 2020". Platform for REDESIGN 2020. Retrieved 2021-04-27.
  9. "Panama Canal begins transition to become carbon neutral by 2030 - Port Technology International". Port Technology International. April 27, 2021.
  10. "DevelopmentAid". DevelopmentAid. Retrieved 2021-04-27.
  11. 11.0 11.1 11.2 11.3 11.4 11.5 11.6 11.7 "Renewables Readiness Assessment: Panama" (PDF). IRENA. May 2018.
  12. "Leyes Sectoriales, Reglamentos, Normativas y Resoluciones". ASEP. 2021.
  13. "Una historia que inició en 1998". www.naturgy.com.pa. Retrieved 2021-04-27.
  14. "Panama Economy - GDP, Inflation, CPI and Interest Rate". FocusEconomics – Economic Forecasts from the World's Leading Economists. January 2, 2014.
  15. 15.0 15.1 15.2 "International - U.S. Energy Information Administration (EIA)". www.eia.gov. Retrieved 2021-04-27.
  16. "¿Cuántas distribuidoras hay en Panamá y cuáles son sus áreas de concesión?". ENSA. February 16, 2016.
  17. "Panama Coal Reserves and Consumption Statistics - Worldometer". www.worldometers.info. Retrieved 2021-04-27.
  18. Sabonge, Rodolfo (August 2014). "The Panama Canal expansion: A driver of change for global trade flows" (PDF). United Nations: ECLAC.
  19. "The future of the Panama Canal: What's next for grain and coal shipping - FreightWaves". FreightWaves. April 26, 2019.
  20. "Panama Oil Reserves, Production and Consumption Statistics - Worldometer". www.worldometers.info. Retrieved 2021-04-28.
  21. "US marine fuels share rises in Panama". Retrieved 2021-04-28.
  22. "Gaslog signs FSU charter for Panama power project". Argus Media. September 4, 2019.
  23. Anastasia Moloney (April 20, 2021). "INTERVIEW-Panama boosts action to protect forests, drought-hit canal". Reuters.