Perfil energético – Panamá

Fonte: Global Energy Monitor

[English][español]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

Matriz de combustível (combustíveis fósseis versus renováveis)

Fornecimento total de energia por fonte, Panamá, 1990 a 2018, fonte: IEA

Atualmente, a matriz energética do Panamá depende principalmente do petróleo importado.[1][2][3]

No setor elétrico, a energia hídrica também desempenha um papel crucial, sendo responsável por cerca de 43,9 % da capacidade instalada e 67,2% da geração total em 2020.[1] Outras fontes renováveis, como a eólica e a solar, fornecem uma porcentagem pequena (mas crescente) das necessidades elétricas do país.[1][4]

O PEN (Plan Energético Nacional) 2015-2050 tem como alvo aumentar drasticamente o uso de energia renovável no Panamá até alcançar 70% da matriz energética do país.[5][6]

Metas de emissões de gases de efeito estufa

Consumo total de energia final por setor (1990-2014) no Panamá, fonte: SNE

O Panamá pretende ser neutro em carbono até 2050, parcialmente enfatizando a restauração florestal para absorver as emissões de CO2.[7] O Panamá Sustentável: O programa Reduce Your Footprint (Reduce tu Huella, Reduza a Sua Pegada) abrange todos os ministérios do governo, o Canal do Panamá, logística, construção, silvicultura, agricultura, turismo, academia e setor financeiro. Ele visa reduzir as emissões de GEE de todos os participantes, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente.[8][9] Em 2021, o Canal do Panamá começou oficialmente a descarbonizar suas operações, a fim de ser neutro em carbono até 2030.[10]

Agências governamentais de energia e outros players principais

Ministério nacional de energia

O SNE (Secretaría Nacional de Energía) trabalha sob o gabinete do Presidente do Panamá para avançar com o planejamento e a política energética.[11]

Agências licenciadoras

O Ministério do Meio Ambiente (Ministerio de Ambiente) é o responsável pelo licenciamento e pelas Avaliações de Impacto Ambiental.[12]

Agências regulatórias

A SNE é responsável pelo marco regulatório da política energética.[12] A ASEP (Autoridad Nacional de los Servicios Públicos) é responsável pela regulamentação do setor elétrico no Panamá.

Empresas concessionárias de energia elétrica

A ASEP supervisiona todos os aspectos do setor elétrico panamenho.[13]

Companhia petrolífera nacional

O Panamá não tem uma empresa nacional de petróleo.

Principais empresas de energia

A Naturgy é a principal distribuidora de energia no Panamá.[14] A Terpel e a EPAPetrol são as principais empresas de petróleo e gás no Panamá.

Dados de emprego do setor de energia

Em 2020, menos de 20% dos panamenhos trabalharam no setor industrial (que inclui empregos relacionados à energia).

O governo panamenho observou a importância de trabalhar para reciclar os trabalhadores cujos empregos foram eliminados durante o afastamento dos combustíveis fósseis.[15] Um plano de recuperação para 2021 da COVID-19 elaborado pela ONU concluiu que 15.000 empregos líquidos adicionais poderiam chegar ao Panamá até 2024, concentrando-se em uma recuperação verde.[16]

Uso de eletricidade

Capacidade instalada

A capacidade instalada de eletricidade no Panamá aumentou continuamente na última década.[12] Em 2020, o país tinha 4.116 MW de capacidade instalada, contando com um mix de combustíveis fósseis (44,2%), energia hidrelétrica (43,9%), eólica (6,6%) e solar (5,2%).[1]

Em 2021, 94% dos panamenhos tinham acesso a eletricidade confiável[1][15]; no entanto, nas áreas principalmente indígenas, as taxas médias de acesso são drasticamente diferentes; nos domicílios da Comarca Ngöbe-Buglé com eletricidade confiável cai para aproximadamente 4%.[15]

Produção

O Panamá produziu 10,9 TWh de eletricidade em 2020; a energia hidrelétrica representou 67,2% de toda a energia gerada, seguida por combustíveis fósseis (24,3%), energia eólica (5,3%), solar (2,9%) e outras fontes renováveis ​​(0,3%).[1] A EGESA (Empresa de Generación Eléctrica S.A.) é a empresa estatal do setor elétrico que é a responsável pelo desenvolvimento de projetos no mercado de geração de energia.[12]

Demanda

O Panamá é o maior consumidor de energia da América Central, importando mais de 80% de sua energia.[17] Para atender à demanda dos consumidores, o Panamá faz parte do SIEPAC (Sistema de Interconexão Elétrica dos Países de América Central), a rede de transmissão elétrica que conecta os países da América Central.[18]Em 2014, os setores comercial e público consumiram 58% da eletricidade total.[12] Três distribuidoras são responsáveis pela distribuição de energia no Panamá: A ENSA, a Edemet e a Edechi.[19]

Consumo

A eletricidade é distribuída por meio do sistema nacionalmente interconectado do Panamá (SIN).[12] Devido ao uso da energia hidrelétrica pelo Panamá, os preços da energia elétrica são afetados pelos padrões climáticos.[12]

Carvão no Panamá

O Panamá não produz carvão e, não tendo novas fontes ou projetos. Em 2016, o consumo anual do país foi de 330.693 toneladas curtas de carvão importado, o que colocou o Panamá na 86º posição mundial em consumo de carvão.[20]

Em setembro de 2021, o ministro da Energia do Panamá anunciou um impulso para a energia limpa com a intenção notável de acabar com o uso do carvão nas usinas de energia até 2023.[21] A partir de setembro de 2021, a usina termelétrica de Bahía las Minas iniciou o processo de encerramento total[22], enquanto a mais nova usina de Cobre Panamá se comprometeu a converter para gás natural até dezembro de 2023.[23]

Consumo de carvão do Panamá entre 1988-2016, fonte: Worldometers

Em 2014, cerca de 15 milhões de toneladas de carvão térmico passaram pelo Canal do Panamá.[24] O canal é uma passagem importante para os embarques de carvão colombiano para a Ásia e para a costa do Pacífico da América do Sul.[25]

Petróleo e gás natural no Panamá

Produção interna nacional

O Panamá não produz petróleo bruto ou gás natural.[18]

Consumo

O Panamá consome 1,61 galões de petróleo per capita/dia (em 2016), ou 14 barris per capita/ano.[26]

Importações e países de origem

Os Estados Unidos são os principais fornecedores de óleo combustível para o Panamá, junto com Equador, Peru e México.[27]

Novas fontes e projetos propostos

Entre os novos projetos potenciais atualmente em consideração pelos investidores no Panamá estão as unidades flutuantes de armazenamento de GNL.[28]

Transporte

O Trans-Panama pipeline transporta o petróleo entre as costas do Atlântico e do Pacífico.[18]

Energia renovável no Panamá

O setor de energia renovável do Panamá atualmente depende fortemente da energia hidrelétrica, e o Plano Nacional de Energia 2015-2050 visa diversificar a matriz energética do Panamá para evitar a dependência.[6]

Impactos ambientais e sociais da energia no Panamá

Eventos climáticos extremos (especialmente secas e inundações, que afetam as usinas hidrelétricas) são a principal preocupação para a infraestrutura, produção e distribuição de energia no Panamá.[12] A produção de energia verde é uma prioridade para o país, assim como a troca para veículos elétricos, gerando mais energia eólica e solar e monitorando o uso de água do Canal do Panamá durante os períodos de pouca chuva.[29]

  1. 1.0 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 "Panorama Energético de América Latina y el Caribe 2021". OLADE. November 2021.
  2. "IEA Policies and Measures Database © OECD/IEA". IEA. Retrieved 2021-06-04.
  3. "Panama - Countries & Regions - IEA". IEA. Retrieved 2021-04-27.
  4. "Panorama Energético de América Latina y el Caribe 2020". OLADE. November 27, 2020.
  5. "Plan Energético Nacional". Secretaría Nacional de Energía – Gobierno de Panamá. Retrieved 2021-06-09.
  6. 6.0 6.1 "Demand analysis of emerging PV markets: Panama of Central and Southern America". Info Link. March 17, 2020.
  7. Ministerio de Ambiente, República de Panamá (December 2020). "Contribución Determinada a Nivel Nacional de Panama (CDN1) Primera Actualización" (PDF). UNFCCC.
  8. "Panama Launches New Programme Towards Implementing its NDC". United Nations. Retrieved 2021-04-27.
  9. "Panama's Green Recovery from COVID-19 – Platform for REDESIGN 2020". Platform for REDESIGN 2020. Retrieved 2021-04-27.
  10. "Panama Canal begins transition to become carbon neutral by 2030 - Port Technology International". Port Technology International. April 27, 2021.
  11. "DevelopmentAid". DevelopmentAid. Retrieved 2021-04-27.
  12. 12.0 12.1 12.2 12.3 12.4 12.5 12.6 12.7 "Renewables Readiness Assessment: Panama" (PDF). IRENA. May 2018.
  13. "Leyes Sectoriales, Reglamentos, Normativas y Resoluciones". ASEP. 2021.
  14. "Una historia que inició en 1998". www.naturgy.com.pa. Retrieved 2021-04-27.
  15. 15.0 15.1 15.2 "Panama: A Hub for an Inclusive, Just Energy Transition". Energy and Climate Partnership of the Americas. August 11, 2021. Retrieved October 8, 2021.
  16. "COVID-19 Recovery: The Energy transition in Panama". recuperacionverde.com. Retrieved 2021-10-08.
  17. "Panama Economy - GDP, Inflation, CPI and Interest Rate". FocusEconomics – Economic Forecasts from the World's Leading Economists. January 2, 2014.
  18. 18.0 18.1 18.2 "International - U.S. Energy Information Administration (EIA)". www.eia.gov. Retrieved 2021-04-27.
  19. "¿Cuántas distribuidoras hay en Panamá y cuáles son sus áreas de concesión?". ENSA. February 16, 2016.
  20. "Panama Coal Reserves and Consumption Statistics - Worldometer". www.worldometers.info. Retrieved 2021-04-27.
  21. "EXCLUSIVE Panama aims to end coal imports, produce ethanol to cut emissions - minister". Reuters. 2021-09-30. Retrieved 2021-10-08.
  22. "Deudas y cambio climático acorralan planta de carbón". Observatorio SAOT (Sociedad, Ambiente y Ordenamiento Territorial) (in español). October 4, 2021.
  23. "Panamá recibirá antes de junio el plan de conversión de la central eléctrica de First Quantum". Minería en Línea. February 9, 2022.
  24. Sabonge, Rodolfo (August 2014). "The Panama Canal expansion: A driver of change for global trade flows" (PDF). United Nations: ECLAC.
  25. "The future of the Panama Canal: What's next for grain and coal shipping - FreightWaves". FreightWaves. April 26, 2019.
  26. "Panama Oil Reserves, Production and Consumption Statistics - Worldometer". www.worldometers.info. Retrieved 2021-04-28.
  27. "US marine fuels share rises in Panama". Retrieved 2021-04-28.
  28. "Gaslog signs FSU charter for Panama power project". Argus Media. September 4, 2019.
  29. Anastasia Moloney (April 20, 2021). "INTERVIEW-Panama boosts action to protect forests, drought-hit canal". Reuters.