Perfil energético – Trinidad e Tobago

Fonte: Global Energy Monitor

[English][español]

Esta página faz parte do Portal Energético para a América Latina de Global Energy Monitor.
Páginas relacionadas:

Matriz de combustível (combustíveis fósseis versus renováveis)

Trinidade e Tobago obtém quase toda sua energia de hidrocarbonetos, tanto produzidos domesticamente quanto importados.[1][2][3] Graças ao suprimento abundante de combustíveis fósseis do país e à dependência econômica em relação ao petróleo e gás, as energias renováveis desempenham um papel insignificante na matriz energética nacional, apesar de alguns pequenos projetos solares em andamento[4] e o governo tenha começado a avaliação do potencial para energia eólica em alto mar e em terra.[5][6] Trinidade e Tobago estabeleceu uma meta de 10% para a produção de eletricidade renovável até 2021, que ainda não havia sido cumprida até o final do prazo.[7]

Metas de emissões de gases de efeito estufa

Trinidade e Tobago foi o segundo maior produtor per capita de gases de efeito estufa do mundo (dados de 2010).[8] O país estabeleceu uma meta durante a Cúpula do Clima em Paris (2015) para a redução das emissões de GEE em 15% até 2021, gerando pelo menos 10% de sua eletricidade a partir da energia solar e eólica.[8] O plano de Contribuição Nacionalmente Determinada do governo, divulgado em 2018, prevê que os setores de geração de energia, transporte e indústria de Trinidade e Tobago reduzam suas emissões em 15% até 2030, em relação aos “business as usual”.[9]

Agências governamentais de energia

Ministério nacional de energia

O MEEI (Ministry of Energy and Energy Industries) administra os recursos de petróleo, gás e minerais de Trinidade e Tobago.[10]

Agências licenciadoras e regulatórias

O MEEI é o responsável pelo monitoramento, controle e regulamentação dos setores de energia e mineração do país.[10] A Regulated Industries Commission (Comissão para Setores Regulados) também atua como um regulador para o setor de energia.[11]

Empresas concessionárias de energia elétrica

A T&TEC (Comissão de Eletricidade de Trinidade e Tobago), do Ministério dos Serviços Públicos (Trinidad and Tobago Electricity Commission) é a responsável pelo setor elétrico.[12]

Companhia petrolífera nacional

Após o fechamento de sua refinaria obsoleta e insolvente em Pointe-à-Pierre, a estatal Petrotrin (Petroleum Company of Trinidad e Tobago) foi desmembrada em 2018 como uma medida de corte de custos. Reorganizada logo após com o nome Trinidad Petroleum Holdings Limited, sua nova subsidiária Heritage Petroleum Company assumiu a responsabilidade pela exploração, desenvolvimento, produção e comercialização de petróleo bruto doméstico, enquanto a Paria Fuel Trading Company lida com terminais, importação de produtos refinados, suprimentos e logística.[13][14][15]

Principais empresas de energia

A POWERGEN (Companhia de Geração de Energia de Trinidade e Tobago) é a maior produtora independente de energia do país.[16]

Dados de emprego do setor de energia

Apesar de suas contribuições significativas para o PIB e para as exportações, o setor de petróleo e gás de Trinidade e Tobago é responsável por menos de 5% dos empregos.[17]

Uso de eletricidade

Capacidade instalada

Em 2020, a capacidade elétrica instalada de Trinidade e Tobago era de 2.114 MW.[7]

Produção

Praticamente toda a eletricidade de Trinidade e Tobago nas últimas décadas foi gerada a partir de gás natural doméstico.[4] Em 2019, o país produzia 87,31% da energia elétrica a partir de gás e 12,63% via petróleo, sendo os restantes 0,06% através de energia solar.[3]

Demanda

O pico de demanda de energia elétrica em 2018 foi de 1.319 MW.[7]

Consumo

O consumo per capita de eletricidade em Trinidade e Tobago era de 5.975 kWh (2019).[3]

Carvão em Trinidade e Tobago

Trinidade e Tobago não tem reservas de carvão e não produz carvão. Em 2016, o consumo anual do país foi de 198 toneladas de carvão importado, o que colocou Trinidade e Tobago no 125º lugar mundial em consumo de carvão.[18]

Petróleo e gás natural em Trinidade e Tobago

Produção interna nacional

Trinidade e Tobago tem uma economia baseada em petróleo e gás, cujas principais exportações são hidrocarbonetos, petróleo e produtos derivados do petróleo e gás natural liquefeito.[4][17]

Consumo

Em 2019, o gás natural era responsável por cerca de 88% do consumo de energia de Trinidade e Tobago, com o petróleo representando um adicional de 11%.[3]

Importações e países de origem

Trinidade e Tobago importa alguns combustíveis minerais, principalmente dos Estados Unidos.[17]

Novas fontes e projetos propostos

Os planos do governo prevêem a continuidade do desenvolvimento do gás natural com base nas reservas existentes, no futuro a médio prazo. O Ministro de Energia e Indústrias de Energia de Trinidade e Tobago declarou que o governo vê o gás natural como um combustível para fazer a ponte para uma matriz energética mais sustentável.[4]

Transporte

Trinidade e Tobago possui vários gasodutos de gás natural em operação, incluindo Angelin Gas Pipeline, Cross-Island Pipeline, ECMA Development Gas Pipeline, NCMA Development Gas Pipeline e Tobago Gas Pipeline.[19] Outros gasodutos propostos para a região incluem o Dragon Gas Pipeline, o Grenada to Trinidad and Tobago Gas Network e o Inter-Caribbean Natural Gas Pipeline.

Energia renovável em Trinidade e Tobago

Trinidade e Tobago tem um histórico fraco de desenvolvimento da infraestrutura de energia renovável pois o país depende do gás natural há muito tempo.[20] O governo começou a reformular sua estrutura legislativa para facilitar a produção de energia elétrica a partir de fontes renováveis, e há um movimento para a criação de uma agência de energia renovável dentro do Ministério de Energia.[20] Menos de 1% da energia de Trinidade e Tobago vinha de fontes de baixo carbono (em 2019).[3] Em 2020, BP, a Shell e a Lightsource venceram 1uma licitação para fornecer energia renovável em escala de rede no país.[20]

Ferro e aço em Trinidade e Tobago

A produção de aço bruto em Trinidade e Tobago está em queda desde 2003.[21] Trinidade e Tobago sofreu uma queda drástica na produção e exportação de aço após o fechamento, em março de 2016, da planta de aço Point Lisas da ArcelorMittal.[22] As exportações de ferro também sofreram um impacto devido ao fechamento temporário da planta de redução direta de ferro da Nucor em 2020 (causado pela pandemia de Covid-19).[23]

Impactos ambientais e sociais da energia em Trinidade e Tobago

As avaliações de impacto ambiental em Trinidade e Tobago são um algo relativamente novo e se concentram mais nas avaliações pós-desastre do que na criação de estratégias preventivas para a gestão ambiental no setor de petróleo e gás.[24] As punições destinadas a deter as violações ambientais são ineficazes porque não existem recursos adequados para monitorar o setor de forma adequada.[24] O setor de petróleo e gás afeta de forma desproporcional as zonas úmidas, os recursos costeiros e as comunidades rurais.[25] Os principais riscos para a infraestrutura petrolífera, devido aos efeitos das mudanças climáticas, são o aumento do nível do mar e as tempestades.[26]

  1. "Panorama Energético de América Latina y el Caribe 2020". OLADE. November 27, 2020.
  2. "IEA Policies and Measures Database © OECD/IEA". IEA. Retrieved 2021-06-04.
  3. 3.0 3.1 3.2 3.3 3.4 Hannah Ritchie; Max Roser (2020-07-10). "Energy". Our World in Data.
  4. 4.0 4.1 4.2 4.3 "Khan: Natural gas key to clean fuel - Trinidad and Tobago Newsday". Trinidad and Tobago Newsday. 2021-02-02. Retrieved 2021-05-06.
  5. "Trinidad and Tobago to investigate offshore wind". 4c Offshore. February 5, 2021. Retrieved 2021-06-06.
  6. "Wind Resource Assessment Programme (WRAP)". Ministry of Energy and Energy Industries. Retrieved 2021-06-06.
  7. 7.0 7.1 7.2 "Energy Snapshot: Trinidad and Tobago" (PDF). Energy Transitions Initiative. September 2020.
  8. 8.0 8.1 "Trinidad and Tobago plans to transition away from fossil fuels". Oxford Business Group. 2016-07-12. Retrieved 2021-05-10.
  9. "Intended Nationally Determined Contribution INDC) under the United Nations Framework Convention on Climate Change" (PDF). Government of Trinidad and Tobago. February 22, 2018.
  10. 10.0 10.1 "Ministry of Energy and Energy Industries – About Us". www.energy.gov.tt. Retrieved 2021-05-10.
  11. "Energy Snapshot: Trinidad and Tobago" (PDF). Energy Transition Initiative. May 2015.
  12. "Trinidad and Tobago Electricity Commission (T&TEC) – Ministry of Public Utilities Trinidad and Tobago". www.mpu.gov.tt. Retrieved 2021-05-10.
  13. "Trinidad Petroleum Holdings Limited". trinidadpetroleum.co.tt. Retrieved 2021-06-10.
  14. "Trinidad and Tobago restructures state oil firm". Oxford Business Group. February 20, 2020.
  15. Linda Hutchinson-Jafar (January 19, 2021). "Trinidad and Tobago returns to market searching for refinery buyer". Reuters.
  16. "Ministry of Energy and Energy Industries – Electric Power". www.energy.gov.tt. Retrieved 2021-05-10.
  17. 17.0 17.1 17.2 "Trinidad and Tobago Economy 2020, CIA World Factbook". theodora.com. Retrieved 2021-05-10.
  18. "Trinidad and Tobago Coal Reserves and Consumption Statistics - Worldometer". www.worldometers.info. Retrieved 2021-05-10.
  19. "Tobago Pipeline – NGC". ngc.co.tt. Retrieved 2021-05-10.
  20. 20.0 20.1 20.2 "Renewable energy in T&T — Energy Chamber of Trinidad and Tobago". Energy Chamber of Trinidad and Tobago. Retrieved 2021-05-10.
  21. "Clarity needed on steel plant - Trinidad and Tobago Newsday". Trinidad and Tobago Newsday. 2019-09-25. Retrieved 2021-05-06.
  22. "Trinidad loses millions after steel manufacturing company closes – Buzz". Buzz – Caribbean and Jamaican News, Culture, Entertainment and Trends. 2020-01-29. Retrieved 2021-05-06.
  23. "Nucor suspends production at DRI plant in Trinidad and Tobago". www.steelorbis.com. Retrieved 2021-05-06.
  24. 24.0 24.1 Francis, Desai, and Balleck (June 10, 2016). "Environmental Impact Assessment for Sustainable Development of the Oil and Gas Industry in Trinidad and Tobago" (PDF). Annual Occupational Ergonomics and Safety Conference.CS1 maint: multiple names: authors list (link)
  25. Baptiste and Nordenstam (March 2009). "Impact of oil and gas drilling in Trinidad: Factors influencing environmental attitudes and behaviours within three rural wetland communities". Research Gate.
  26. Economic Commission for Latin America and the Caribbean (2011-10-22). An assessment of the economic impact of climate change on the Energy Sector in Trinidad and Tobago. CEPAL.